A agência não será fechada.

Um servidor e três vigilantes da agência Capital do Milho da Caixa Econômica Federal de Patos de Minas foram afastados por suspeita de contaminação pelo novo coronavírus. A decisão de manter os quatro profissionais em isolamento foi confirmada ao Patos Hoje pela assessoria de comunicação da Superintendência da Caixa em Uberlândia. A agência não será fechada. Neste domingo (24), a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais divulgou mais um caso de coronavírus em Patos de Minas.


. Outros funcionários que tiveram contato com eles também foram afastados.

A informação que chegou ao Patos Hoje é de que o funcionário da Caixa já teria feito o teste com resultado positivo. A assessoria da Caixa informa, no entanto, que se trata apenas de caso suspeito e que os profissionais que apresentaram os sintomas foram afastados. A nota encaminhada a redação do Patos Hoje ressalta ainda que foram adotados todos os protocolos de prevenção à disseminação do vírus.

Segundo a Caixa, a agência onde os profissionais com suspeita de contaminação trabalham passou por um processo de assepsia, possibilitando que o atendimento seja retomado na segunda-feira (25). "O atendimento será feito por outra equipe de funcionários que não tiveram contato com os profissionais", diz a nota.

A notícia, no entanto, causou apreensão até mesmo em funcionários de outro banco. A informação é de que os vigilantes não trabalham em uma única agência. Neste domingo (24). A Secretaria Estadual de Saúde confirmou mais um caso de coronavírus em Patos de Minas. O município agora conta com 33 casos positivos de Covid-19 e 1 morte. Veja a nota da Caixa Econômica Federal encaminhada ao Patos Hoje:

"A CAIXA esclarece que Agência Capital do Milho está sendo higienizada durante este final de semana por conta de suspeita de infecção de COVID-19 de um dos empregados e três vigilantes. Foram adotados os protocolos preventivos à disseminação. Informamos que ainda neste domingo está sendo realizada assepsia geral na unidade e os funcionários com sintomas foram afastados do trabalho. A previsão é que o atendimento seja retomado amanhã, 25, por grupo de empregados que não tiveram contato com a equipe local.

O banco ressalta que o fechamento de agências para higienização é dinâmico e ocorre sempre que é identificado qualquer nível de risco de contaminação, visando à proteção dos empregados, clientes e parceiros. Após o processo de higienização, as agências podem ser reabertas para o atendimento à população em segurança.

A medida reforça as ações para melhorar a segurança de todos os clientes, colaboradores e parceiros da CAIXA no contexto da pandemia de COVID-19", concluiu.

O Sindicato dos Bancários de Patos de Minas demonstrou preocupação com a situação tendo em vista o grande fluxo de pessoas em decorrência do pagamento do auxílio emergencial. A entidade informou que vai monitorar a situação.