Publicado em 09/10/2018
Compartilhe:

Vencedora do Nobel da Paz promete "ser a voz de quem não têm voz"

"Eu me comprometo a ser a voz de quem não têm voz", disse a sobrevivente de escravidão sexual do Estado Islâmico.

A ativista iraquiana yazidi Nadia Murad, vencedora do prêmio Nobel da Paz 2018, anunciou hoje seu compromisso para ser a porta-voz dos que são silenciados e não podem contar sua situação.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––

"Eu me comprometo a ser a voz de quem não têm voz", disse a sobrevivente de escravidão sexual do Estado Islâmico durante uma entrevista coletiva em Washington, sua primeira aparição pública desde que recebeu o prêmio, na última sexta-feira.

Nadia se disse honrada por receber o prêmio e prometeu ajudar em sua causa, a denúncia do genocídio da comunidade yazidí e a violência sexual em conflitos, assim como a recuperação das vidas dos afetados por essas situações.

"É uma honra compartilhá-lo com os yazidis, os iraquianos, os curdos e outras minorias perseguidas e todas as vítimas, especialmente as de violência sexual, em todos os cantos do mundo", destacou Murad, de 25 anos.

A ativista advertiu que sozinha não conseguirá cumprir tudo que sua causa exige e convocou a comunidade internacional a trabalhar junto com ela.

"Um prêmio sozinho e uma pessoa sozinha não conseguem cumprir este objetivo. Precisamos de um esforço internacional com a ajuda de instituições e a participação de mulheres e jovens, com a participação das vítimas para trazer a vida de novo para as regiões destruídas pela guerra", considerou.

"Convoco todos os Governos para se unirem a mim para combater o genocídio e a violência sexual. O mundo deveria garantir que haja responsabilidades para que a violência sexual em conflitos pare", completou.

Nesse sentido, defendeu que o foco seja fazer com que os autores dos crimes cumpram com sua responsabilidade nos mesmos para que seja feita justiça para as vítimas.

"Devemos trabalhar juntos com determinação para torná-los responsáveis e conseguir a justiça para as vítimas, especialmente para as de violações sistemáticas do Estado Islâmico e outros grupos terroristas", disse.

Fonte: Agência EFE

Postado em 09/10/2018
Compartilhe:

1 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Tédio Cansado Bananeira | 1 mês, 1 semana atrás

    Pensei que seria feita uma breve apresentação da ilustre ganhadora do prêmio nobel da paz e o que ela fez; afinal de contas para ganhá-lo é necessário ter feito algo relevante e imagino que ela deve tê-lo feito. Fiquei no vácuo, pois nada foi informado. Também hoje em dia pra ser jornalista nem precisa ter diploma. É isso aí, deixa quieto.

    0 0 Responder