349669 2216 Ok
Publicado em 31/10/2017
Compartilhe:

Vacas morrem eletrocutadas na zona rural de Rio Paranaíba e família denuncia descaso da Cemig

Os proprietários da fazenda relataram que só viram as faíscas de fogo e os animais morrendo, não tendo para onde fugir.

Diversas vacas morreram na fazenda. ( Foto: Paranaíba Agora )

A queda de energia na zona rural de Rio Paranaíba no último sábado (28) tem causado muita dor de cabeça para um produtor rural. Desde o dia em que faltou energia na fazenda, o produtor e suas filhas tem tentado entrar em contato com a Cemig para a solução do problema, porém, não obtiveram sucesso.

Segundo relatos de uma das filhas do produtor que procurou nossa redação na manhã desta terça-feira (31) para denunciar o descaso da concessionária, os operários chegaram ir na região no domingo (29) e aparentemente solucionaram o problema. Mas na noite desta segunda-feira (30) um fio de alta tensão se rompeu de um poste que fica a cerca de 03 Km da sede da fazenda, encostou na cerca de arame e causou um grande prejuízo para o proprietário.

De acordo com informações apuradas pela nossa equipe, os animais que estavam próximo a cerca morreram eletrocutados e por pouco não houve uma tragédia ainda maior. Os proprietários da fazenda relataram que só viram as faíscas de fogo e os animais morrendo, não tendo para onde fugir.

O produtor desmaiou e sua esposa enrolou as mãos e perdeu a fala com a forte corrente elétrica. Após alguns minutos, eles conseguiram entrar em contato a filha na cidade que acionou a Polícia Militar para socorrê-los. Eles foram levados para o Hospital Municipal e foram liberados pelo médico de plantão.

Um veterinário teve que ser chamado para ajudar a contabilizar os prejuízos causados pelo acidente. Nossa reportagem conversou com o veterinário e, segundo ele, morreram treze cabeças de gado leiteiro e outras duas ficaram com sequelas e não servirão mais para a produção de leite.  Ele ainda disse que o prejuízo do proprietário pode chegar a 70 mil reais, pela perda dos animais e pelo gasto com remédios.

Os familiares tentaram por diversas vezes entrar em contato com a Cemig, para que os operários resolvessem o problema, porém novamente sem sucesso. A família relata o descaso que a Cemig vem tratando o fato. Conforme eles disseram, desde sábado estão tentando fazer contato com a central da concessionária em busca de uma resposta do fato, mas não estão obtendo êxito.

Nossa redação também entrou em contato com a Cemig na manhã desta terça-feira e fomos informados de que é preciso esperar para a reparação do fio e que é necessário a Família registrar um boletim de ocorrência para que seja dado início ao processo de ressarcimento dos bens perdidos. A empresa não disse quanto tempo demorará para realizar o reparo na energia da fazenda.

PARECER TÉCNICO

Um engenheiro elétrico também foi chamado na fazenda para tentar entender como tudo aconteceu. Segundo ele, é provável que o cabo deve ter partido na madrugada de sábado e que os aparelhos da Cemig ao perceber o rompimento do cabo, desligaram a energia automaticamente, deixando a região sem energia.

O engenheiro ainda relata que ‘por se tratar de um pequeno número de clientes atingidos pela falha, não é do interesse da empresa mandar uma equipe ao local o quanto antes, já que o custo do deslocamento da equipe é superior ao custo decorrente do não fornecimento de energia’ e que no domingo, os técnicos da concessionária foi até o vizinho (que também realizou a abertura de um chamado de reparo) e entenderam que o problema seria em um outro local e foram realizar o reparo, prevendo um horário para o reestabelecimento da energia.

Só que o reparo nesse local provavelmente terminou durante à noite, sendo autorizado o reestabelecimento da energia. Os técnicos não tinha conhecimento que havia um outro cabo partido na região e que este estava encostando na cerca que vai até o curral da fazenda.

O engenheiro ainda explica que por volta das 21h a energia foi reestabelecida e que a cerca passou a ser condutora de eletricidade até a sede da fazenda. Por questões de segurança, a cerca é ligada na terra que espalhou a eletricidade que acabou matando tanto os animais que estavam em contato com a cerca, quanto aqueles que estava na região do curral.

Fonte: Paranaíba Agora

Postado em 31/10/2017
Compartilhe:

29 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Meu Deus | 1 mês, 2 semanas atrás

    Coitado que prejuízo

    1 0 Responder

  • WILLIAN | 1 mês, 2 semanas atrás

    Muita irresponsabilidade da CEMIG, Fico imaginando se as pessoas estivessem no curral manuseando o gado sem duvida teria sido uma tragédia, não que não tenha sido!!! Tem que ir a justiça mesmo! muito descaso com usuário que paga pelo serviço prestado. O pior é a justificativa de não ter ido ao local, pois a reclamação partia de um usuário apenas, por isso não foram de imediato, devido ao custo para descolocar a equipe. Empresa deste porte com pensamento tão pequeno... Taí o prejuízo maior do que o deslocamento.

    13 0 Responder

  • André Mineiro | 1 mês, 2 semanas atrás

    Anexe ao processo (imagino que o fazendeiro irá acionar a justiça) o depoimento desse engenheiro, pois, nele demonstra o descaso da fornecedora com seus usuários, o desinteresse total em solucionar os problemas rapidamente e a sua própria impenitência profissional por ¨resolver o problema¨ no lugar errado.

    7 0 Responder

  • Danilo | 1 mês, 2 semanas atrás

    É um prejuízo e uma grande dor de cabeça, Cemig realmente tem que arca com os prejuízos. Mas esse valor de 70 mil está bem acima do que 13 vacas vale

    3 9 Responder

  • ARP | 1 mês, 2 semanas atrás

    Sou advogado e tenho 06 clientes que já tiveram problemas parecidos. Entramos com processos judiciais cobrando danos materiais (prejuízos com perda de leite e vacas, além de redução na produção leiteira) bem como danos morais em virtude dos dissabores ocasionados pela falta de energia. O meu conselho é que este produtor rural faça o mesmo.

    7 6 Responder

    SEU CLIENTE - 1 mês, 2 semanas atrás

    eu por exemplo perdi!

    9 0

    PRA - 1 mês, 2 semanas atrás

    todos os 6 perderam

    9 0

    ANTONIO RODRIQUES PEREIRA - 1 mês, 2 semanas atrás

    SEI.....................

    7 1

    cangaleitão - 1 mês, 2 semanas atrás

    affffffffffffffffffff

    7 0

    ARP - 1 mês, 2 semanas atrás

    Todos os processos ainda estão com o juiz para julgamento.

    4 5

    para o tal ARP - 1 mês, 2 semanas atrás

    em 2075 saiu o julgamento kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    7 1

    ARP - 1 mês, 2 semanas atrás

    Pelo menos em 2075 uma pessoa ignorante e imbecil como você não estará mais infeccionando a superfície da terra.

    4 8

  • Patos | 1 mês, 2 semanas atrás

    'O engenheiro ainda relata que ‘por se tratar de um pequeno número de clientes atingidos pela falha, não é do interesse da empresa mandar uma equipe ao local o quanto antes, já que o custo do deslocamento da equipe é superior ao custo decorrente do não fornecimento de energia'... CUSTO MAIOR PARA O PRODUTOR NÉ, QUE TEVE PREJUÍZO COM AS VACAS E QUASE MORREU TAMBÉM COM SUA ESPOSA. A CEMIG TEM QUE SER RESPONSABILIZADA. OS CUSTOS SÓ AUMENTANDO E NÓS É QUE PAGAMOS.

    8 0 Responder

    Flavio - 1 mês, 2 semanas atrás

    Resumindo ""ergenheiru" e cmig lixo.......

    1 0

  • Edna Silva | 1 mês, 2 semanas atrás

    Misericórdia Deus

    8 0 Responder

  • Elenice Cavalcanti | 1 mês, 2 semanas atrás

    Entre na justiça. ..Esse prejuízo não deverá ser suportado pelo fazendeiro...culpa da CEMIG.

    13 2 Responder

  • Rosimeire Natalia Dias de Jesus | 1 mês, 2 semanas atrás

    Q horror

    5 0 Responder

  • Gloria Freitas | 1 mês, 2 semanas atrás

    Cobra caro,a energia,a mais caro de minas,,,,nas atender bem,,,nunca

    13 2 Responder

carregar mais comentários