349669 2216 Ok
Publicado em 14/12/2016
Compartilhe:

Secretaria de Estado de Saúde lança campanha de enfrentamento ao Aedes

Além de investir R$ 66 milhões ao longo do ano, secretaria anuncia recurso adicional de R$ 37 milhões para reforçar as ações de controle ao vetor.

A campanha foi lançada pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) realizou, nesta quarta-feira (14/12), o lançamento da Campanha de Enfrentamento ao Aedes aegypti. A campanha está amparada no conceito de mobilização social e tem como objetivo envolver a comunidade para que ela seja protagonista na prevenção ao mosquito.

Na ocasião, foi também apresentada a situação epidemiológica da Dengue, Chikungunya e Zika e as complicações devido à circulação simultânea dos três vírus. Logo após o lançamento oficial da campanha, membros do Comitê Gestor Estadual de Políticas de Enfrentamento da Dengue, Chikungunya e Zika Vírus se reuniram para discutir ações integradas de enfrentamento ao vetor.

Para o subsecretário de Vigilância e Proteção à Saúde, Rodrigo Said, os últimos dados do Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado em outubro e novembro deste ano, mostram que os principais criadouros estão dentro da casa das pessoas.

“Mais de 70% dos reservatórios predominantes nos municípios que realizaram o LIRAa são compostos por depósitos ao nível do solo, como barril, tina tambor, tanque e poço; depósitos móveis, como vasos e frascos, pratos, pingadeiras e bebedouros e depósitos fixos, como tanques, obras e borracharias, calhas e lajes. Frente a essa realidade, é fundamental chamar novamente a população para nos apoiar nas ações de combate ao vetor”, reforça Said.

Envolver o cidadão como corresponsável pela promoção da saúde é principal objetivo da nova campanha de mobilização da SES-MG. “Seguimos a linha da campanha do Ministério da Saúde, que sensibiliza a população a não deixar o Aedes marcar a sua vida. Aliado a esse recado, novamente insistimos no cuidado de uma vez por semana as pessoas checarem os principais criadouros do vetor em seu domicílio, para podermos tentar minimizar os impactos de uma possível tríplice epidemia das doenças transmitidas pelo Aedes”, afirma o subsecretário de Vigilância e Proteção à Saúde.

Além do recurso de R$ 66 milhões investidos ao longo de 2016, a SES-MG publicou, em novembro, resolução que destina R$ 37 milhões aos municípios para suporte às ações dos agentes de endemias.

Os recursos, juntamente com os repasses do Governo Federal, poderão ser utilizados para ações como compra de bombas para jogar inseticida, compra de carros e de combustível, capacitação e deslocamento das equipes, permitindo assim uma atuação mais efetiva dos agentes de endemias no âmbito local. Os municípios, com a verba a ser repassado pelo Estado, serão os responsáveis pela efetiva utilização dos recursos.

Comitê Gestor

O Comitê Gestor Estadual de Políticas de Enfrentamento à Dengue, Chikungunya e Zika, lançado em dezembro do último ano, conta com a participação de diversos órgãos e entidades do Governo de Minas Gerais.

A atuação intersetorial do grupo, em diferentes frentes e dentro da competência de cada instituição, faz parte da estratégia para enfrentamento ao Aedes aegypti de forma integralizada.

O secretário de Estado de Saúde em exercício, Nalton Sebastião Moreira da Cruz, abriu as atividades de retomada do Comitê e reforçou que estamos diante de um grande desafio para o estado de Minas Gerais, que é a possibilidade de ocorrência de uma tríplice epidemia de Dengue, Chikungunya e Zika, todas transmitidas pelo mesmo vetor.

“Dessa forma, precisamos organizar nossos serviços para o enfrentamento dessa situação, com o objetivo de evitar a ocorrência de óbitos dessas doenças e do aumento de casos. Essa ação é considerada prioritária pela nossa gestão”, sinaliza o secretário em exercício. Nalton Moreira enfatizou, ainda, a necessidade ampliar as ações de mobilização.

“É preciso também envolver outros setores, como educação, meio ambiente, limpeza urbana e serviços de abastecimento de água para desenvolvimento de ações integradas para combate de mosquito. Sabemos que essa responsabilidade não é só da saúde”, finaliza.

Além da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, que o coordena, compõem o grupo de trabalho as secretarias de Estados de Governo; Casa Civil e Relações Institucionais; Planejamento e Gestão; Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Segurança Pública; Cidades e Integração Regional; Educação; Transportes e Obras Públicas; além do Gabinete Militar do Governador, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil; Polícia Militar; Corpo de Bombeiros; Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem; Copasa; Cemig e Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário.

Campanha de Mobilização

Com o conceito “Você vai deixar o Aedes marcar a sua vida?”, a nova campanha ressalta que o mosquito vetor da Dengue também transmite Zika e Chikungunya, doenças que podem deixar sequelas para a saúde humana.

“Na campanha, a prevenção é tema de extrema importância, aliado à conscientização sobre as possíveis consequências que as doenças transmitidas pelo Aedes podem causar”, afirma o coordenador de Mobilização Social e Publicidade e Propaganda da SES-MG, Joney Fonseca Vieira.

Durante o mês de dezembro, a campanha circula em rádios da capital e interior do estado e ainda em jornais impressos. A arte do flyer e o spot estão disponibilizados no site www.saude.mg.gov.br/aedes.

Situação epidemiológica

Minas Gerais registrou, até o momento, 526.902 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de Dengue e 247 óbitos. Outros 41 óbitos suspeitos da doença permanecem em investigação. Já em relação à Febre Chikungunya, são 482 casos prováveis. Para a febre pelo Zika Vírus, foram registrados, até o momento, 15.135 casos prováveis em Minas Gerais.

Em relação aos casos que envolvem febre pelo Zika em recém-nascidos com microcefalia, mães de recém-nascidos com microcefalia e gestantes, foram confirmados 1.065 casos de gestantes com doença aguda pelo Zika Vírus. Clique aqui para conferir o boletim completo, atualizado em 14/12/2016.

Fonte: Agência Minas

Rovan - Super Banner Rodape - inicio 11-07-17
Postado em 14/12/2016
Compartilhe:

0 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.