PROCON de Patos de Minas, MPMG e MPF recomendam que clínicas e hospitais vendam medicamentos pelo preço de fábrica

A orientação é para que os centros médicos da cidade repassem os produtos pelo preço de fábrica.

publicado em 08/02/2020, por Farley Rocha


Imagem Ilustração.

A recomendação conjunta entre o Procon de Patos de Minas, o Ministério Público de Minas Gerais e o Ministério Público Federal aconteceu após reclamações chegarem até o órgão de defesa do consumidor. Medicamentos de uso clínico e hospitalar estariam sendo vendidos pelo preço máximo. A orientação é para que os centros médicos da cidade repassem os produtos pelo preço de fábrica.

De acordo com Rafael Godinho Nogueira, coordenador do Procon Municipal, de porte das reclamações  sobre o preço dos medicamentos de uso clínico e hospitalar praticado pelos centros médicos estabelecidos em Patos de Minas, ele solicitou ao Ministério Público Federal, na pessoa da Procuradora Dra. Polyana Washington de Paiva Jeha, a investigação da questão.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Rota Pop

A Procuradora da República então instaurou, na data de 03 de fevereiro de 2020, um procedimento administrativo para apurar a demanda.

O coordenador do Procon ainda apresentou ao Ministério Público, na pessoa do Coordenador do Procon/MG na Comarca, Dr. José Carlos de Oliveira Campos Júnior, e à Procuradora da República uma Recomendação Administrativa, a qual foi assinada pelos representantes dos órgãos e, posteriormente, anexada ao procedimento aberto no Ministério Público Federal.

O documento recomenda aos hospitais e clínicas médicas estabelecidos no município de Patos de Minas que não apliquem o Preço Máximo ao Consumidor - PMC a medicamentos de uso restrito ao ambiente clínico e hospitalar, devendo adotarem o Preço de Fábrica – PF em atendimento à Resolução nº 03/2009 da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos.

A fiscalização do cumprimento da recomendação será efetuada pelos representantes do Ministério Público após os hospitais serem devidamente notificados a observarem os termos do documento.

Autor: Farley Rocha Postado em 08/02/2020
Compartilhe:

10 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Comparando | 1 semana, 5 dias atrás

    Outro dia estava conversando com um amigo advogado. Ele disse que, pior que advogado, só medico, no quesito de exploração dos clientes. E pode prestar atenção: conheço uns 200 médicos, desse apenas um tenho certeza de que é honesto. O resto é tudo ladrão, rouba até os bens dos parentes. :back:

    2 1 Responder

  • Amanda | 1 semana, 5 dias atrás

    O lema é LUCRO ACIMA DE TUDO, DINHEIRO ACIMA DE TUDOS. Um dos mercados mais lucrativos, so perdem para cartórios. Interessante lucrar em cima da doença, fragilidade. É um paradoxo que se não tiver lucro não haverá como manter os serviços com qualidade, no entanto tem haver o bom senso. Quando a questão é saúde na maioria dos casos não há como esperar e muito menos pesquisar. Acredito que deveriam chamar os médicos que são os proprietários de tais estabelecimentos e colocarem em uma sala de aula, ensinassem a eles coisas como humaninade e empatia. Ensinassem a falar da maneira que o paciente entende, olhar nos olhos. Parecem que esquecem sensibilidade quando entram na faculdade. Deveriam também tratar melhor os funcionários dos hospitais. São médicos, escolheram essa profissão, não são deuses. Não estou generalizando, mais a questão é seríssima. Outro detalhe, muitos atendem pelo SUS e pelo particular. A diferença em alguns casos é gritante.

    17 1 Responder

    Leonardo - 1 semana, 5 dias atrás

    ja que rende tanto lucro assim, que tal vcs abrirem um hospital? Pq a realidade é o contrario. Vejo muitos hospitais falindo

    0 17

    Não adianta - 1 semana, 5 dias atrás

    Os médicos, quando se formam, são, em sua maioria, idealistas. Querem salvar vidas, ajudar os pobres. Mas quando começam a trabalhar, aprendem a malandragem com os colegas antigos, aí só pensam em tirar dinheiro dos pacientes, uma desonestidade total, uma roubalheira danada - pronto, falei!

    2 1

  • Carlão | 1 semana, 5 dias atrás

    Os órgãos de defesa deveria analisar o atendendo de alguns convênios ( Ipsemg e outros)se realmente eles podem suspender.

    6 5 Responder

  • Carlão | 1 semana, 5 dias atrás

    Fiz um procedimento bum depois me cobraram 3 vezes o valor do anterior,um absurdo,questionei não adiantou nada,caso tenha novamente vou procurar outra cidade.

    9 1 Responder

  • Carlos Eduardo | 1 semana, 6 dias atrás

    Na prática como eu fico sabendo o verdadeiro preço de fabricá? ??? Por exemplo. Qto custa uma byscopan intravenosa hj num desses hospitais e qto custa na fábrica?

    8 1 Responder

  • Sabichão | 1 semana, 6 dias atrás

    Certa vez minha irmã precisou tomar um suplemento que não estamos encontrando em nenhuma farmacia. Fomos ao hospital que ela tratava pois na farmácia interna tinha. O vidro do suplemento nas farmácias girava de 10 a 12 reais. Sabem quanto estava saindo na farmácia do hospital? 135 reais! Isso mesmo 135 reais. Ate achamos que fosse a caixa mas não, era o vidro de 180 ml mesmo, iguaizinhos o que comprávamos na farmácia comum. Até a menina que nos atendeu ficou com vergonha, pois ela mesma falou. “Olha, é o preço que tá aqui no sistema. Fico até sem jeito mas não posso fazer nada.”

    7 1 Responder

  • Na Real | 1 semana, 6 dias atrás

    Uma transfusão de sangue, que foi doado, eles cobram os olhos da cara, agora uma medicação que na maioria das vezes, é vendida só para hospitais e clinicas, é que eles vão vender pelo preço de fabrica... contra outra! Á dois anos atrás, minha esposa fez uma cirurgia e precisou colocar dois parafusos no joelho, eles cobraram a bagatela de R$ 6000,00 pelos dois parafusos! A medicação, os honorários médicos, e mais a diária do hospital, eles cobraram mais R$ 8000,00! Pedi desconto eles disseram que me daria se eu não pedisse recibo, aí eu fui saber o valor do desconto, ele seria de R$ 180,00!

    24 5 Responder

  • Precisa mesmo | 1 semana, 6 dias atrás

    Os hospitais de Patos de Minas vendem os medicamentos por 10 vezes o preço da farmácia. É uma empurração danada nos pacientes. :back: :back: :back:

    34 2 Responder