349669 2216 Ok
Publicado em 02/02/2017
Compartilhe:

Prefeito calcula dívida superior a R$240 milhões e decreta calamidade financeira de Patos de Minas

Com a oficialização, a administração disse que vai trabalhar para reduzir gastos e aumentar as receitas.

José Eustáquio anunciou o decreto de calamidade financeira nesta quinta-feira(02).

Como o Patos Hoje havia anunciado, a Prefeitura Municipal de Patos de Minas decretou nesta quinta-feira (02) calamidade financeira. Leia mais! A dívida do município, incluindo débitos de vários anos atrás, superou os R$240 milhões. O Prefeito preferiu não falar em irregularidade ou má gestão do governo anterior. Com a oficialização, a administração disse que vai trabalhar para reduzir gastos e aumentar as receitas.

O documento informa que o município tinha em 31/12/2016 uma dívida de R$103.103.451,75 que deve ser paga a curto prazo. Destes valores, o Prefeito José Esutáquio, declarou que eles são decorrentes principalmente de serviços prestados pela Conserbrás, Limpebrás, Empresa de segurança TBI, Vale Card e Pássaro Branco. “Foi concedido o Passe Livre Escolar a todos os estudantes, mas a prestação do serviço não foi quitada”, explicou.

O decreto ainda revela uma dívida de R$16.278.282,45 que deve ser paga a longo prazo e outra enorme, no valor de R$168.001.335,58. Esta última dívida, é relativa ao déficit atuarial do Instituto de Previdência Municipal-IPREM, resultante de várias administrações passadas. O prefeito afirmou que para saldar este valor, o município deverá repassar nos próximos meses um valor de cerca de R$1 milhão a cada mês.

O documento apresenta que o município tinha em caixa apenas R$46.756.967,27 no dia 31/12/2016. Os débitos deduzidos os créditos resultam em uma dívida do município no total de R$240.626.102,51. Ao ser questionado se foi verificada alguma irregularidade ou gestão do dinheiro público para se chegar a esse rombo, o Prefeito preferiu atribuir a dívida à queda de receitas do ano passado.

Imagens atualizado em 02/02/2017 • 11 fotos

O decreto apresenta algumas medidas que vão ser tomadas a partir de agora para administrar o débito. A primeira delas é vedar a criação ou expansão da despesa municipal, suspendendo diversas despesas com servidores por um prazo de 180 dias. Os gastos com eventos festivos também serão proibidos, no entanto, o Prefeito já adiantou que a Fenapraça será realizada e com sua permissão outros eventos poderão ser realizados.

E os servidores terão ainda menos direito. Será feita uma revisão dos adicionais de insalubridade e periculosidade, limitação no pagamento de horas-extras, férias prêmio, concessão de licenças, cessão de pessoal e diárias. “Comparando novembro de 2016 com janeiro de 2017, nós cortamos 590 servidores. Conseguimos reduzir a folha salarial em cerca de R$1.400.000,00”, afirmou.

Outras medidas também deverão ser tomadas para aumentar as receitas como revisão de contratos e cobranças administrativas e judiciais para recuperação de créditos tributários. “Nós vamos contratar um georreferecniamento para fazer uma nova medição dos imóveis para recalcular o IPTU dos imóveis de Patos de Minas, sem precisar aumentar as alíquotas”, informou.

Autor: Farley Rocha

Rovan - Super Banner Rodape - inicio 11-07-17
Postado em 02/02/2017
Compartilhe:

60 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Fala sério | 9 meses, 2 semanas atrás

    A todos os patenses informo que aquele discurso que o atual prefeito fez, falando que não iria perseguir os servidores, é pura mentira. Vão procurar saber...vocês verão que isto está acontecendo, porém de forma disfarçada.

    2 0 Responder

  • Danton | 9 meses, 3 semanas atrás

    Grande parte desta dívida esse atual prefeito ajudou a fazer quando trabalhou em gestões anteriores, agora está querendo dar uma de João sem braço, querendo colocar a culpa apenas no prefeito anterior. Ahhh prefeito, vai pentear macaco no vento. Acha mesmo que o povo é tão estúpidos de acreditar em suas desculpas para governar como Ditador, decretando calamidade financeira ???

    6 1 Responder

  • gu | 9 meses, 3 semanas atrás

    La vem o golpe :rage:

    6 0 Responder

  • Observador | 9 meses, 3 semanas atrás

    Se o problema de falta de dinheiro fosse só para o município de Patos de Minas estava fácil bastava mobilizar patentes influentes em Brasília para mobilizar mais recursos para está que é sim a cidade mais pelo do Alto Paranaíba, isso porque em Belo Horizonte com o governo meia-tigela de Minas não será em Belo Horizonte que serão conseguidos os recursos financeiros para a saída da crise. Enquanto isso a esquerda só tem como alternativas para 2018 o retorno de Lula com Ciro Gomes ou com a Dilma o que tem tudo para dar certo mas também para dar errado.

    1 0 Responder

  • #PATOSTEMROMBO | 9 meses, 3 semanas atrás

    A culpa é de governos anteriores que vem roubando desde sempre! Obvio que o Pedro Lucas teria que dar uma explica;'ao sobre essa divida desse tamanho. E se possivel abrir uma investigação pra ver o que os prefeitos tão fazendo com essas empresas. Tenho quase toda certeza do mundo que tem contratos fraudulentos por ai. Nome de laranjas envolvidos e antigos prefeitos ficando rico com milhões de bens em nome de laranjas.Agora quem vai chorar provavelmente sera os pobres e os 600 que foram demitidos. :money_with_wings: :money_with_wings: :money_with_wings: :money_with_wings: :money_with_wings: :money_with_wings:

    7 1 Responder

  • PAtureba | 9 meses, 3 semanas atrás

    Engraçado..o atual prefeito ja participou de outra gestão passada. Então ele confirma e concorda que em sua gestão já havia deixado tambem um rombo nas contas da prefeitura. Sr Prefeito, você e sua(s) aliança(s) disseram e prometeram, falaram e jogaram esperança no povo patense. Ficou claro que a união dos 2 lados era pra melhorar a situação de Patos. Ou seria a situação futura de vocês ? Alguns membros ate diziam que ja tinham a fonte de dinheiro pra algumas obras. Pois então, reúna a "turma" novamente e manda tirar leite de pedra agora. Patos precisa muito de varias melhorias e uma gestão competente e comprometida com a cidade. Respeitem quem os elegeu. E chega de mi mi mi e desculpas.

    12 1 Responder

    ISO 9000 - 9 meses, 2 semanas atrás

    TRAGAM UM TROFÉU PARA O PATUREBA... ????????

    1 0

  • Edio Batista da Fonseca | 9 meses, 3 semanas atrás

    este país está precisando de homens com experiencias em gestão administrativa......falam tanto quando candidatos e aí quando são eleitos só servem pra ocupar posição e a cidade fica este caus dívidas e mais dividas ninguém resolve nada...isto é no país inteiro........

    12 0 Responder

  • E O XEROX? | 9 meses, 3 semanas atrás

    QUE NEGÓCIO É ESSE DE PROFESSOR NÃO TER COTA DE XEROX PARA ALUNO? VAI PAGAR MATERIAL PARA DAR AULA, RODAR FOLHA EM MIMEÓGRAFO, OU SÓ ESCREVER NO QUADRO?

    8 2 Responder

  • Susan | 9 meses, 3 semanas atrás

    quer economizar gastos começa retirando varios cargos de confianca q foram criados nesse governo....falou-se em eliminar alguns cargos e se criou mais ainda fala serio.....so na secretaria de infraestrutura criaram mais de 10 cargos a mais da gestao passada tem pessoas q sao chefes deleas proprias...

    16 4 Responder

    Eu - 9 meses, 3 semanas atrás

    Susan quanto a isso ele já tomou providências, digo porque sei.

    8 10

  • Cassia | 9 meses, 3 semanas atrás

    Diagnosticou o rombo? Ok. é só o primeiro passo. Mas o que o povo quer saber é como vão ser sanadas essas dividas. Só decretar calamidade financeira sem ações praticas é o mesmo que dar um golpe no vento, pois não adianta nada. É preciso medidas concretas e seria ótimo começar cortando os vários cargos em comissão e enxugando a maquina. Além disso, melhorar a eficiência do setor de compras e licitações e varias outras ações possíveis pra melhorar a saúde financeira e qualidade do serviço.

    11 0 Responder

carregar mais comentários