349669 2216 Ok
Baile do Hawaii
Publicado em 31/01/2017
Compartilhe:

Movimento Negro Unificado discute racismo e intolerância religiosa em Patos de Minas

Um fórum de discussão foi proposto para Março.

o 1º Seminário Municipal pela Liberdade Religiosa aconteceu no Teatro Municipal Leão de Formosa.

A primeira atividade do Movimento Negro Unificado em Patos de Minas aconteceu nesse fim de semana com a realização do 1º Seminário Municipal pela Liberdade Religiosa.

Organizado pelos membros do Conselho Municipal de Igualdade Racial (COMPIR), da Casa de Caridade Vovó Ana (CCVA) e militantes do Movimento Negro Unificado (MNU), em parceria com a Diretoria de Igualdade Racial, Memória e Patrimônio Cultural (DIMEP) da Prefeitura Municipal de Patos de Minas, o 1º Seminário Municipal pela Liberdade Religiosa aconteceu no dia 28, no Teatro Municipal Leão de Formosa.

O encontro contou com a presença de líderes religiosos, militantes do movimento negro, representantes dos governos municipal e estadual e outros interessados, além do secretário de Cultura, Fábio Amaro e do diretor de Igualdade Racial, Memória e Patrimônio Cultural da pasta, Geenes Alves.

O que motivou o movimento a organizar o seminário foi verificar que há tempos, experiências ruins de intolerância religiosa ao redor do mundo são manchetes dos principais veículos de comunicação. Essa situação, muitas vezes, também acontece no Brasil, pois geralmente as minorias são preteridas e relegadas a um espaço marginal na sociedade.

Imagens atualizado em 31/01/2017 • 8 fotos

Durante o seminário, foram discutidas questões como o Racismo, de modo geral e mais especificamente sobre a liberdade religiosa, sobretudo no que diz respeito às matrizes africanas.

Outro motivo para a realização do debate foi agendar para o dia 21 de janeiro, falecimento de Gildásia dos Santos no ano de 2000, em Itapuã, Bahia, popularmente conhecida como Mãe Gilda, grande defensora da liberdade religiosa. Em sua homenagem, foi editada a lei federal nº 11.635/07, tornando o dia 21 de janeiro como o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa.

Durante as discussões houve a intenção de realizar um Fórum de discussão, visando à promoção da Igualdade Racial. A data discutida para esta discussão ainda não foi fechada, mas deverá acontecer em março.

Fonte: Ascom Prefeitura Municipal de Patos de Minas

Clínica Impar - Início: 21-08-17
Postado em 31/01/2017
Compartilhe:

1 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • PALMARES | 7 meses, 3 semanas atrás

    Às vezes fico imaginando e me questionando... e se pessoas criassem um MOVIMENTO BRANCO UNIFICADO?? Como isso seria visto? Antes de me chamarem de racista, esclareço a todos que tenho a pele negra... aliás nem sei mais como me definir diante de tantas denominações (negro, preto, afrodescendente, pardo, etc.)

    12 4 Responder

    Robin Hood - 7 meses, 3 semanas atrás

    CALA A BOCA COISA, NINGUÉM TE PERGUNTOU NADA NAO.

    1 10

    Pedrinho - 7 meses, 3 semanas atrás

    No Brasil tem historico de escravidao de brancos, de discriminaçao de brancos no mercado de trabalho, de serem tratados mal em algum local publico por serem brancos, ja viu algum branco ser hostilizado por ter pele clara e cabelo liso?Agora repita as mesmas perguntas em relação aos negros? A resposta é a mesma? É meio óbvio!

    4 7

    ANDRES - 7 meses, 3 semanas atrás

    Robin Hood, discuta ideias ou indique soluções mas sem agressões. Agressões são sintomas de ignorância e mediocridade... Se é incapaz de discutir ideias, isole-se em seu pequeno mundo de ignorância.

    3 0

    Fator RH - 7 meses, 3 semanas atrás

    Pedrinho, acho que a discriminação hoje é muito mais em relação à classe social do que à cor de pele. Se pesquisar direito verás que brancos também foram e são ainda escravizados.

    6 3

    Pedrinho - 7 meses, 3 semanas atrás

    Fator RH, o Brasil tem 517 anos, dos quais negros foram escravizados aqui por 400 anos. Se vc esta familiarizado com numeros... é auto-explicativo.

    1 1

    entediado - 7 meses, 3 semanas atrás

    Pedrinho, quando a conta vai fechar? Pelos seus números a escravidão acabou há 117 anos... Descendentes de negros serão vítimas eternamente? também sou negro, já sofri preconceito sim, mas NÃO SOU VÍTIMA. esse segregacionismo de "movimento negro" só serve para separar mais os povos baseados em sua cor de pele. o que precisamos é união e fraternidade, não "clubinhos de preto".

    1 0

  • Patrícia | 7 meses, 3 semanas atrás

    Muito bom! :clap: :clap: :clap:

    5 7 Responder