Publicado em 07/06/2018 por Farley Rocha
Compartilhe:

Morador encontra diversos remédios em rua de Patos de Minas e caso serve de alerta

Os remédios podem ser levados até uma Unidade de Saúde mais próxima para serem descartados de forma correta.

Os medicamentos estavam em via pública.

Um morador encontrou nesta quinta-feira (07) em Patos de Minas diversos medicamentos descartados em via pública. Além de causar riscos para a população, principalmente crianças que podem fazer a ingestão, os remédios podem trazer danos ao meio ambiente e aos animais. Em Patos de Minas, o descarte irregular pode gerar multas. Os remédios podem ser levados até uma Unidade de Saúde mais próxima para serem descartados de forma correta.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––

Os medicamentos foram localizados na Rua Tomaz de Aquino, local de grande movimento. Foram encontrados diversos tipos de remédios, sendo que alguns estavam vencidos e outros com data de validade ainda para 2019. O morador, Wenderson Lázaro, foi quem encontrou os medicamentos. Temendo que algo pudesse ocorrer, principalmente com crianças, ele resolveu recolhê-los para conferir a destinação correta.

De acordo com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, em Patos de Minas, os profissionais de saúde possuem um Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS) e contrato com uma empresa que realiza o transporte e a destinação final dos resíduos de serviços de saúde, de acordo com a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 306/2004. O descarte inadequado de medicamentos pode acarretar em sanções administrativas, conforme a Lei Complementar Municipal nº 367/12.

A assessoria ressalta que os problemas causados pela presença dos compostos de medicamentos no ambiente ainda não são muito bem conhecidos. “Sabe-se que os medicamentos diluídos em água podem interferir no metabolismo e no comportamento de organismos aquáticos. Há remédios que são persistentes e se acumulam no meio ambiente, além dos riscos de doenças que podem causar na população e em animais, já que podem encontrá-los descartados no lixo e utilizá-los. Os antibióticos também são preocupantes porque quando expostos ao meio ambiente, tornam as bactérias encontradas no local resistentes ao antibiótico em questão”, afirmou.

A Vigilância Sanitária orienta as pessoas para evitar a contaminação ambiental de medicamentos.

Uso racional de medicamentos:
Refere-se “à necessidade de o paciente receber o medicamento apropriado, na dose correta, por adequado período de tempo, a baixo custo para ele e a comunidade”. Use medicamento de forma racional, sem exageros, sem automedicação e não interrompa o tratamento por conta própria. Também exija do seu médico uma prescrição completa e coerente, sem desperdícios.

Evite desperdícios:
Ao comprar medicamentos, sem a utilização de critérios ou em grandes quantidades para deixar armazenado em casa, é mais provável que parte passe da validade sem uso e tenha que ser descartado.

Espalhe informação:
Muitas pessoas descartam medicamentos no lixo ou nas redes de esgoto por falta de informação, não por falta de opção. Conte para amigos e familiares que esses medicamentos vencidos podem ser entregues à Unidade de Saúde mais próxima da residência para o descarte ambientalmente correto.

Descarte corretamente:
Se seu medicamento venceu e você só percebeu agora, não o jogue no vaso sanitário ou no lixo. Sabendo dos riscos, o melhor é levar os medicamentos à Unidade de Saúde mais próxima da sua residência para o descarte ambientalmente adequado.

Autor: Farley Rocha Postado em 07/06/2018
Compartilhe:

10 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Jesus | 2 meses, 1 semana atrás

    Meu Deus,que informação é essa.? Remédio? APRENDA primeiro para depois dar a informação. Remédio dão chá. Remédio SINTÉTICO chama medicamento.

    3 9 Responder

    Juh - 2 meses, 1 semana atrás

    O título está descrito como remédios, mas durante toda a matéria foi descrito como medicamentos, portanto preste mais atenção no seu comentário, pois as pessoas mais humildes dizem remédios e não sabem a diferença entre remédio e medicamento. O título é para chamar a atenção dos leitores. Fica a dica.

    17 0

  • MARCOS FERREIRA "X-9" 2 meses, 1 semana atrás

    Comentário removido pelos leitores. Este comentário foi retirado porque recebeu 20 votos negativos a mais que os positivos.

    Sem terno e gravata - 2 meses, 1 semana atrás

    #LULA Livre JÁ salvação do Brasil Eleições sem LULA é Golpe é Fraude

    5 15

  • CIDADÃO | 2 meses, 1 semana atrás

    A reportagem conseguiu apurar se os medicamentos eram de uso controlado ou não; a quantidade de unidades encontradas; o tipo dos medicamentos, se antibióticos, antiinflamatórios; se de uso continuo; se distribuídos por farmácia popular ou por determinada farmácia, comercial ou hospitalar?

    7 10 Responder

    Gui - 2 meses, 1 semana atrás

    ta e dai?

    2 9

    Esclarecendo - 2 meses, 1 semana atrás

    Pelas caixas que dá para ver o nome, Depakene e Carbolitium são medicamentos controlados, já os medicamentos em blister não ter como saber pois não dá para ver o nome.

    8 0

    Esclarecendo - 2 meses, 1 semana atrás

    Dá para ver nas caixas também que são de uso comercial, não são amostras grátis, mas não se exclui a possibilidade de serem de uso hospitalar uma vez que um hospital pode comprar o medicamento diretamente da farmácia para administrar a um determinado paciente que esteja internado. Porém mais certeza que seja de uso comercial.

    7 0

    CEBOLINHA - 2 meses, 1 semana atrás

    Por se tratar de Carbolitium e Depakene, suponho que o usuário seja portador de transtorno bipolar e portanto, pode não ter consciência do risco desse tipo de descarte ou até mesmo ter perdido na rua.

    6 0

    barcelos - 2 meses, 1 semana atrás

    Imagine se estes mediamentos são pegos na Farmácia da Prefeitura ai vai outro pegar e estar em falta porque um pegou e descartou com certeza pela quantidade deve ser de uso continuo e está faltando pra outros.depois a culpa vem do prefeito que está faltando medicamentos ou da greve dos caminhoneiros.

    1 0