Ministério Público e Mosaic Fertilizantes celebram acordo referente a mineração

Em 2018, a empresa concluiu a aquisição da Vale Fertilizantes no município de Patos de Minas.

publicado em 19/07/2019,


Imagem Ilustrativa

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) celebrou Termo de Compromisso com a Mosaic Fertilizantes, visando à garantia de estabilidade e segurança de barragens no Complexo Minero-Químico de Araxá.

Também assinaram o acordo, firmado no dia 5 deste mês, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, a Procuradoria do Ministério Público Federal em Uberaba e a Superintendência Regional de Meio Ambiente do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––

Segundo o MPMG, desde fevereiro deste ano o Complexo Minero-Químico de Araxá encontra-se paralisado pela declaração de situação de emergência em nível 1 da Barragem B1/B4 (nível mais baixo de potencial de risco), pela não obtenção de Declaração de Condição de Estabilidade, além da interdição pela Agência Nacional de Mineração.

Desde então, a empresa Compromissária tem adotado uma série de medidas técnicas e operacionais visando o monitoramento e a garantia de segurança da estrutura, com o acompanhamento pelos órgãos fiscalizadores e prestação de informações ao MPMG no âmbito de Inquéritos Civis instaurados.

No Termo de Compromisso foram assumidas obrigações e providências referentes à manutenção das medidas de controle e segurança de barragens, à contratação de empresa de auditoria técnica externa independente e à atualização do Plano de Segurança de Barragem e do Plano de Ação de Emergência para Barragem de Mineração.

A empresa deverá também promover o descomissionamento e a descaracterização de estruturas, a regularização ambiental de estruturas e o atendimento à futura regulamentação da Lei Estadual nº 23.2191/2019, conforme a Política Estadual de Segurança de Barragens, dentre outros aspectos.

A mediação e negociação do acordo foi conduzida pelo promotor de Justiça Carlos Alberto Valera, da Coordenadoria Regional das Promotorias de Justiça do Meio Ambiente das Bacias dos Rios Paranaíba e Baixo Rio Grande, com o apoio da promotora de Justiça Bárbara Francine Prette Nunes, da 1.ª Promotoria de Justiça da comarca de Araxá.

A Mosaic é uma das maiores empresas do mundo em produção e comercialização de fosfato e potássio combinados. Tem como objetivo transformar de forma harmoniosa e responsável as riquezas do solo em desenvolvimento sustentável. No Brasil, atua na produção, importação, comercialização e distribuição de fertilizantes para aplicação em diversas culturas agrícolas, além do desenvolvimento de produtos para nutrição animal e comercialização de produtos industriais.

Em 2018, a empresa concluiu a aquisição da Vale Fertilizantes no município de Patos de Minas. A jazida está localizada na Rocinha.

Fonte: Coordenadoria Regional das Promotorias de Justiça do Meio Ambiente das Bacias dos Rios Paranaíba e Baixo Rio Grande

Postado em 19/07/2019
Compartilhe:

3 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Carlos Fioravante | 4 semanas, 1 dia atrás

    Trabalhei lá e de fato o PH é baixo

    0 0 Responder

    Rogério Carvalho - 1 dia atrás

    Parece que há outra jazida de fosfato entre Patos e Pres Olegário. Ou é a mesma?

    0 0

  • De Coromandel | 1 mês atrás

    Não entendo é por que a planta/indústria lá da Rocinha está parada têm muitos anos. Especula-se que o fosfato dessa jazida acabou ou que, têm uma porcentagem muito baixa e precisa ser enriquecido na planta de Araxá, inviabilizando a extração e processamento, enfim são comentários que se houve. O fato é que, gerava muitos empregos para a localidade de Pilar, Lagamar de Patos e Patos de Minas.

    7 1 Responder