MEC anuncia programa para maior financiamento privado a universidades públicas

A proposta do MEC quer dar maior autonomia financeira a universidades e institutos federais

publicado em 17/07/2019,


O Ministério da Educação (MEC) quer elevar a participação de financiamento privado em instituições públicas de ensino superior, que segundo a pasta terão acesso a mais de 100 bilhões de reais por meio do programa “Future-se”, lançado nesta quarta-feira.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Rota Pop

“O dinheiro virá, por exemplo, do patrimônio da União, de fundos constitucionais, de leis de incentivos fiscais e depósitos à vista, de recursos da cultura e de fundos patrimoniais”, afirmou o MEC, destacando que a adesão ao programa será voluntária.

A proposta do MEC, que quer dar maior autonomia financeira a universidades e institutos federais, vai passar por consulta pública até o dia 15 de agosto.

O plano envolve práticas como permitir a exibição de nomes de empresas e patrocinadores nos edifícios e campi das instituições, “o que possibilitaria a modernização e manutenção dos equipamentos com ajuda do setor privado”. A proposta também prevê arrecadação de recursos com imóveis das instituições por meio de contratos de cessão de uso, concessão, fundo de investimento e parcerias público-privadas (PPPs).

Segundo o MEC, o programa será financiado por um fundo de direito privado administrado por uma instituição financeira e que funcionará sob regime de cotas.

“As universidades e os institutos federais não serão privatizados. O governo continuará a ter um orçamento anual destinado para as instituições.”

Por volta das 13:15, as ações de empresas de educação subiam na bolsa paulista, com Kroton em alta de 4,09%, Estácio valorizando-se 1,79%, Ser Educacional avançando 4,2% e Anima com elevação de 2,56%.

O MEC afirmou que o Future-se tenta tornar mais eficiente práticas existentes e acrescentou que as instituições já contam com receitas próprias – cerca de 1 bilhão de reais de universidades, institutos e hospitais universitários somados.

“Mas os recursos não apresentam retorno direto para as atividades por conta de limitação legal. O dinheiro arrecadado vai para a Conta Única do Tesouro. A proposta do MEC visa à desburocratização do recebimento dessa verba.”

Fonte: Reuters

Postado em 17/07/2019
Compartilhe:

3 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Riala Mafon | 5 meses atrás

    Loucura: Capitalista nenhum emprega dinheiro se não lucrar rápido. E como vão ficar os estudantes ? está me cheirando elitização da Educação universitária. Espero que os universitários se rebelem com veemência.-------------------- Não aguento ver a cara dos que votaram nesse Bolsonaro inépto.

    7 4 Responder

    Betão - 5 meses atrás

    Chora petista desmamado. chora petezada. chora bosquim

    2 3

    Riala Mafon - 5 meses atrás

    Betão-------------Betão, vc não tem filhos, sobrinhos, amigos que necessitam uma boa Universidade gratuita ? Por que será que os fascistas não gostam de Educação Sistemática e Cultura ? Identifico aí um traço do fascismo. Um pobre que vota na direita é como só fazer gol contra a sua classe. A luta de classe é uma característica do ser humano, não viva as dificuldades de uma classe e sustente a classe superior a sua. O Paulo Guedes tem vários educandários por isso a privatização do ensino público.

    5 2