349669 2216 Ok
Caiçaras - Full Banner
Publicado em 26/09/2017 por Maurício Rocha
Compartilhe:

Longo período de seca faz aumentar em 40% a procura por perfuração de poços artesianos

Muitas nascentes secaram e o volume reduzido de água nos mananciais não tem sido suficiente para atender os moradores.

A saída tem sido a perfuração de poços artesianos. ( Foto: Ilustração/Internet )

Patos de Minas está há 129 dias sem receber uma única gota de chuva. O longo período de estiagem causa transtornos principalmente no campo. Muitas nascentes secaram e o volume reduzido de água nos mananciais não tem sido suficiente para atender os moradores de algumas localidades. A saída tem sido a perfuração de poços artesianos.

Levantamento realizado pelo Patos Hoje junto a empresas especializadas em perfuração de poços de artesianos na cidade mostra um crescimento da demanda entre 30% e 40%. O aumento da procura é comum em períodos de estiagem, mas segundo os empresários do setor, de dois anos para cá, o número de pessoas interessadas em perfurar um poço artesiano aumentou muito.

Para algumas pessoas, a perfuração do poço artesiano é a única saída para ter água em casa. Na região de Pindaíbas, por exemplo, nem o Córrego da Usina onde está a captação da empresa de abastecimento tem suportado o longo período de estiagem. A Copasa tem usado caminhões-pipa para abastecer os imóveis do distrito.

O problema se repete em outras localidades. Com o pisoteio de animais e sem a proteção de matas ciliares, muitas nascentes secaram e agora os moradores da zona rural estão tendo que tirar dinheiro do bolso para não ficar sem água. E não é barato ter um poço artesiano em casa. Dependendo da profundidade, um poço artesiano pode custar até R$ 30 mil. Um mini poço para quem não precisa de tanta água, custa em torno de R$ 8 mil.

Rovan - Super Banner Rodape - inicio 11-07-17
Autor: Maurício Rocha Postado em 26/09/2017
Compartilhe:

14 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • refletir nossa ação | 2 meses, 1 semana atrás

    Entenda a importância dos aquíferos A água doce do planeta não é distribuída de maneira uniforme. Enquanto algumas regiões sofrem com a escassez, as outras aproveitam do recurso em abundância. O Brasil, por sua grande biodiversidade, conta com uma das maiores reservas hídricas do mundo. Grande reservatório de águas subterrâneas, os aquíferos vêm sendo cada vez mais estudo mais explorados. Eles podem ser livre ou freático, confinado ou artesiano, porosos, fraturados, fissurados e cárticos. A importância dos aquíferos do Brasil está relacionada ao desenvolvimento econômico e social do mundo. Isso por que a utilização desenfreada da água doce que circula pela superfície do planeta é cada vez maior, bem como a poluição por agrotóxicos e fertilizantes químicos usados na agricultura, por resíduos de processos industriais, esgotos domésticos e lixões. Nesse sentido, é a função das reservas hídricas abastecer o mundo. As reservas também são responsáveis por alimentar rios, lagos e oceanos, formando um ciclo hidrológico. As águas voltam à superfície, evaporam-se e precipitam em forma de chuvas que abastecem novamente os aquíferos, os quais permitem que os rios não transbordem. Apesar de todos os benefícios, os aquíferos são recursos esgotáveis e a sua utilização desenfreada pode acarretar problemas. Um exemplo de aquífero que já está no seu limite é o aquífero de Ogallala, no Arizona, EUA, que já perdeu o equivalente a 18 vezes o volume do rio ,Colorado por causa da irrigação de áreas extensas na agricultura. Na Tailândia a situação é pior. O uso irracional afundou algumas áreas de Bangcoc, cerca de 14 centímetros por ano. Isso aconteceu porque as rochas do subsolo que servem de sustentação diminuem de tamanho quando estão secas e, logo, o solo cede. Nesse sentido, no Brasil, biólogos, instituições e órgãos ambientais estão em alerta sobre as possibilidades de problemas futuros e já trabalham para a prevenção dessas reservas

    0 0 Responder

  • Patense | 2 meses, 2 semanas atrás

    Não sei como estão conseguindo autorização para perfurar tantos poços artesianos, se é que esses poços não são ilegais, pois em vários locais do Brasil esse tipo de captação de água está contingenciada, justamente por causar uma severa degradação dos lençóis freáticos, secando cada vez mais as nascentes de rios e córregos. A reportagem deveria ter abordado melhor o tema.

    3 1 Responder

    Jr. - 2 meses, 2 semanas atrás

    As águas dos poços artesianos não são do lençol freático, e sim do aqüífero. Captar essa água não interfere no rebaixamento de nível do lençol freático, logo não seca as nascentes, porém muitas pessoas estão perfurando poço raso, que por sua vez, esse sim capta a água do lençol e em grande proporção pode abaixar o nível do lençol freático, secando as nascentes e por consequência os córregos e rios.

    0 1

  • Brasil Nutella | 2 meses, 2 semanas atrás

    Exatamente porque furaram poços artesianos demais que as águas secaram. Por que ninguém tem peito pra fazer uma reportagem com o desperdício de água dos pivôs dos grandes fazendeiros. Ali sim tem água desperdiçada com borra!

    5 2 Responder

  • Guilherme Geraldo | 2 meses, 2 semanas atrás

    Porque que os vereadores não subirem no rio Paranaíba assima só ficaram passeando próximo a cidade aqui perto todo mundo tá vendo .......... Que não tem aguá nas será porque né aí pra gente só vem o resto aí culpa a população

    4 1 Responder

  • Francy Caixeta | 2 meses, 2 semanas atrás

    Essas perfurações prejudicam ainda mais os mananciais.

    7 2 Responder

  • OBSERVADOR | 2 meses, 2 semanas atrás

    De acordo com os fundamentos da Lei 9 433 de 8 de janeiro de 1997, "a água é um bem de domínio público" (águas superficiais e subterrâneas), portanto toda pessoa física ou jurídica tem direito ao acesso e utilização, cabendo ao Poder Público a sua administração e controle.

    6 6 Responder

  • OBSEREVADOR | 2 meses, 2 semanas atrás

    :hammer:TODO SER HUMANO E AMBIENTALISTA E SEU DEVER E PROTEGER O QUE DÊUS LHE CONFIOU ;A falta de controle destas perfuração de poços artesianos esta prejudicando a natureza, as nascente e os rios e toda população. Enquanto o povo não acordar vão continuar a prejudica a natureza e tudo que nela vive. Estão tirando o direito da vida da natureza e da humanidade . E se continuar assim muitos vão ter que pagar caro por agua que estarão na mão de poucos. Cade os governantes o e as pessoas e os que luta pela igualdade de direito. a agua e um direito das vida na natureza ninguem pode torna para si um propriedade que DÊUS criou para todos para torna somente sua . EU digo não esta perfurações que prejudica os lenções freaticos e que mato os rios e as vidas que DÊUS criou .

    7 2 Responder

  • Marcos Ferreira X-9 | 2 meses, 2 semanas atrás

    Olha só o boiadeiro montado em seu alazão. Conduzindo toda a boiada com seu berrante na mão. Seu rosto é só poeira, poeira vermelha, poeira. Poeira do meu sertão.

    3 5 Responder

  • Walisson Domingos | 2 meses, 2 semanas atrás

    Fasso cisterna manual Alguem prescisa ai Ajudem a divulga Obrigado

    8 2 Responder

  • Marcelo | 2 meses, 2 semanas atrás

    Esse pocos artesianos acaba mais com lencol de água (a pessoa q tá furando o poço vai ter água mais acaba prejudicando o vizinho q talvez não tenha condições de furar um poço )

    9 1 Responder

carregar mais comentários