349669 2216 Ok
Banner Unipam 2017 - Institucional
Publicado em 15/08/2017 por Maurício Rocha
Compartilhe:

Garoto com anemia falciforme vende picolés com a mãe em Andrequicé para bancar tratamento

A Anemia Falciforme é hereditária que acomete principalmente pessoas negras.

O garotinho sonha em ser policial.

O sonho é ser um policial militar, mas com apenas quatro anos de idade, o pequeno Kleber Viktor de Oliveira tem um desafio maior pela frente. Ele precisa vencer as dores e os transtornos que a Anemia Falciforme causam. O garoto está no distrito de Andrequicé em companhia da mãe vendendo picolés para bancar o tratamento.

A Anemia Falciforme é hereditária que acomete principalmente pessoas negras. A doença é causada pela produção anormal de glóbulos vermelhos do sangue, o que deforma as hemácias. As células da membrana são alteradas e se rompem com facilidade, causando a anemia. Por conta desse rompimento, elas tornam-se parecidas com uma foice, por isso o termo falciforme.

Os portadores de Anemia Falciforme sofrem com crises de dor nos ossos e nas articulações, infecções pelo corpo e anemia. As crianças menores ainda sofrem com dores nos pés e mãos com inchaço e vermelhidão. A doença ainda não tem cura, mas existem relatos de pessoas que se livraram da Anemia Falciforme com transplante de medula.

É nessa possibilidade que agarra o pequeno Klber Viktor e a mãe Adélia de Oliveira. A mulher de 34 anos aproveita os festejos de Nossa Senhora da Abadia no distrito de Andrequicé para conseguir o dinheiro necessário para o tratamento. Adélia e o filho percorrem a localidade em meio aos devotos da padroeira vendendo picolés.

O esforço de mãe e filho tem chamado a atenção. Hoje o garoto foi visitar o posto policial instalado na localidade, reforçando ainda mais o desejo de ser policial. A esperança é de que as vendas aumentem para conseguir o dinheiro necessário.

Adélia e Kleber moram no bairro Quebec em Patos de Minas. As pessoas que puderem ajudar a salvar a vida do garoto podem contribuir com o tratamento doando qualquer quantia. O telefone de contato da mãe é o (34) 991700936.

Imagens atualizado em 15/08/2017 • 9 fotos

Clínica Impar - Início: 21-08-17
Autor: Maurício Rocha Postado em 15/08/2017
Compartilhe:

18 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • roselia | 3 meses, 1 semana atrás

    Enquanto os politicos ficam preocupados com os interesses pessoais e corrupção, as pessoas doentes precisam contar com a sorte para sobreviver, nós podemos começar mudar essa realidade, vamos votar em branco

    1 0 Responder

  • Rubens Jr. | 3 meses, 1 semana atrás

    Esse é um Guerreiro, um herói sem medalha, mas com dignidade e perseverança. Em frente, Guerreiro!... "Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos." (Hebreus 11:1)

    4 0 Responder

  • Dr. Fabio Nascimento | 3 meses, 1 semana atrás

    Prezados redatores do Patos Hoje Sou diretor do Hemocentro de Patos de Minas e informo a doença falciforme é uma das doenças hereditárias que são tratadas gratuitamente pelo SUS aqui mesmo no hemocentro e que essa criança NÃO ESTÁ EM TRATAMENTO AQUI, provavelmente por desinformação. Informo ainda que a maioria dos pacientes NÃO TÊM indicação de transplante e os mesmos podem ser tratados com medicamentos com muito sucesso, sendo o transplante a ultima alternativa( devido aos seus riscos) somente adotada nos caos muito graves e com complicações.

    27 1 Responder

    Poliana - 3 meses, 1 semana atrás

    Pois também tenho um filho q tem anemia falciforme e e tratado no hemocentro com o doutor Fábio e o tratamento e gratuito nao tem despesas nao vamos aceriguar isso ai

    0 1

  • DIMITRI NISHIMURA | 3 meses, 1 semana atrás

    Enquanto alguns lutam para viver e sobreviver, os bandidos estão recebendo auxílio reclusão e os políticos os lucros da corrupção.

    23 0 Responder

  • Leida Rufina | 3 meses, 1 semana atrás

    Elaine Aparecida Pereira

    4 6 Responder

  • Ivone m ses | 3 meses, 1 semana atrás

    Parabéns aos policiais militares por da um momento de alegria a essa criança q abençoa vcs

    18 1 Responder

  • o carimbador maluco | 3 meses, 1 semana atrás

    Isso que é exemplo, se todos tivessem o mesmo pensamento. O menino e a mãe ao invés de sairem pedindo, preferiu ganhar dignamente o dinheiro. O que essa molecada de hoje precisa é disso, de trabalho, pra ocupar mais o tempo, mas tem o "ECA" que diz que não pode, que não sei o que e blá blá blá. Por isso tem tantos marginaizinhos soltos por aí, preferem o caminho do mal amparados pelo "ECA". Voltando ao assunto da reportagem, parabéns ao garoto e a mãe e que Deus os ilumine e consigam êxito no seu tratamento, vocês merecem.

    14 1 Responder

  • Lessane Barros | 3 meses, 1 semana atrás

    Eu tenho uma amiga que tem essa doença. Ela faz tratamento pelo SUS em uberlândia

    22 0 Responder

  • Patrícia Helena | 3 meses, 1 semana atrás

    Simonia Mendes

    3 10 Responder

  • Simone Cristina | 3 meses, 1 semana atrás

    Uai gente, não estou entendendo pq conheço crianças com a falciforme e eles fazem o tratamento no hemocentro de patos de minas

    17 6 Responder

carregar mais comentários