Em meio a desespero e tiros, vizinhos abrigaram alunos de escola em Suzano

Foi na casa de alguns desses vizinhos que alguns alunos da escola se refugiaram.

publicado em 14/03/2019,


Quando os primeiros tiros foram disparados dentro da escola estadual Raul Brasil, em Suzano, nesta quarta-feira, muitos vizinhos abriram seus portões, deparando-se com estudantes que pulavam o muro da escola e corriam desesperados.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Medic Imagem

Foi na casa de alguns desses vizinhos que alguns alunos da escola se refugiaram —muitos em estado de choque— do massacre realizado dentro do colégio por dois ex-alunos e que deixou 9 mortos —incluindo os dois agressores que cometeram suicídio. Uma décima vítima foi morta em uma locadora de carros da cidade antes de os criminosos entraram na escola. Outras 10 pessoas ficaram feridas.

“Escutei muita gritaria, abri o portão no momento e me deparei com a cena das crianças pulando o muro”, contou a dona de casa Marilene Gonçalves, de 51 anos.

Marilene, que estava no quintal de sua casa na hora dos primeiros disparos, abrigou na sua casa um estudante que foi baleado no queixo depois de vê-lo pulando o muro.

“Ele não conseguia falar nada, mas eu dei o celular na mão dele e ele digitou, todo trêmulo, todo sujo, para falar com a mãe dele”, explicou, acrescentando que o jovem estava desesperado pela namorada, que não conseguiu pular o muro.

Foi também no fundo da oficina de pintura de carros de José Santana, na mesma rua da escola, que outras oito jovens buscaram refúgio.

“Ouvi o primeiro, o segundo e o terceiro tiro. Foram muitos, muito altos”, disse o pintor de carros de 68 anos.

Segundo relataram os vizinhos, a polícia chegou rapidamente, cerca de cinco minutos após os primeiros tiros. Eles estimam que o tiroteio não durou mais de 10 minutos.

Muitos outros moradores do quadrilátero ao redor da escola tiveram a mesma ação de abrigar os estudantes. A escola, explicam, ocupa um lugar de carinho no bairro.

Além de ser uma escola referência de Suzano, cidade que fica a cerca de 50 quilômetros de São Paulo, muitos moradores também estudaram ali, há muitas décadas.

“Eu cresci ali, estudei ali minha vida toda. Tem uma parte de mim ali, uma parte da minha história”, disse o publicitário Igor Ribeiro, de 42 anos.

Ele, que mora a uma quadra da escola, correu para o local assim que ouviu os primeiros disparos e chegou ainda em tempo de ver os estudantes correndo.

Os autores do massacre estudaram na escola e, segundo o secretário de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, o mais novo deles, o de 17 anos, estava em processo de retornar.

O fato de ser conhecido por funcionários, avaliou Soares, pode ter facilitado sua entrada na escola.

“Tem algo na origem que precisa ser analisado. Precisamos pensar o que estamos fazendo com os nossos jovens”, disse Rossieli.

O prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi (PR), anunciou que disponibilizou um ginásio esportivo da cidade caso os familiares da vítima optem por realizar um velório coletivo para as vítimas do massacre.

Fonte: Agência Reuters

Postado em 14/03/2019
Compartilhe:

2 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • O Debochador | 2 meses, 1 semana atrás

    Espero que essa tragédia possa por fim nesse plano idiota de liberação de armas para a posse. Claro que todas as pessoas mais atiradas, vão portar as armas , aumentando indiscutivelmente a mortandade por assassinato. Tem coisas importantes no Brasil para serem feitas, os Poderes constituídos só fazem besteiras. Esperemos que criem pelo menos juízo já que talento não se cria, é uma aquisição.

    4 3 Responder

    O Debochador - 2 meses, 1 semana atrás

    Gostaria que os Bolsotas fizessem uma explanação a respeito do Boso ser 'consogro' do assassino e ainda vizinho e amigo. Coisas estranhas essa Família Bolsonaro guarda, mal guardado mas guarda . Se tivéssemos uma justiça imparcial o delegado não seria trocado , pois ele já tinha pego o a ponta do fio era só seguir e pedir o andamento do Processo no STF. Vocês bolsotas, ainda não desanimaram não ? Em 3 meses nada foi feito a não ser tuitar e acabar com o nosso Mercado Consumidor, talvez mais uma besteira será feita, o caso da Embaixada de Tel Aviv para Jerusalém. Bolsotas: Jerusalém é tida como uma cidade sagrada para judeus, Muçulmanos e Cristãos. Ou seja, Jerusalém é apenas uma cidade religiosa, não deve ser política. Se o Boso mudar a nossa Embaixada para Jerusalém , ele fica inimigo dos Muçulmanos que é um Mercado de 1 Bilhão e 300 milhões de pessoas, perde esse super mercado e ainda entra na Rota dos Fundamentalistas ( O Brasil não tem Estrutura para Impedir Ataques terroristas ). Um dos males da Direita bolsota é não entender de Geopolítica.

    1 1