349669 2216 Ok
Banner Unipam 2017 - Institucional
Publicado em 19/10/2017
Compartilhe:

Com mais 34 mil vagas, setembro é o sexto mês de saldo positivo de emprego

No acumulado do ano, o saldo positivo chega a 208.874 empregos, um aumento de 0,5% em relação ao estoque de empregos de 2016.

O mês de setembro registrou aumento de 34.392 vagas nos postos de trabalho com carteira assinada. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado hoje (19) pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Este é o sexto mês seguido em que foram abertas mais vagas de trabalho formal.

No acumulado do ano,  o saldo positivo chega a 208.874 empregos, um aumento de 0,5% em relação ao estoque de empregos de 2016.

A Região Nordeste novamente foi a que gerou mais postos de trabalho com 29.644 vagas. Em seguida, vêm as regiões Sul, com 10.534, e Norte, com 5.349. Já nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, houve redução nos postos, com quedas respectivas de 8.987 e 2.148 empregos.

Entre as 27 unidades federativas, 20 tiveram saldo positivo. Pernambuco foi o estado que teve melhor resultado, com 13.992 vagas abertas. Em seguida, aparecem Santa Catarina, com 8.011; Alagoas, com 7.411; Pará, com 3.283, Paraná, com 2.801, Bahia, com 2297 e Ceará, com 2.161.

Os destaques negativos foram o Rio de Janeiro, com redução de 4.769 vagas; Minas Gerais, com menos 4.291, e Goiás ,com menos 3.493 postos.

Dos oito setores pesquisados, os números do Caged mostram que, em setembro, quatro registraram aumento nos postos de trabalho. No mês passado, o setor da indústria de transformação puxou a geração de empregos, com 25.684 postos. No mês anterior, a liderança foi do setor de serviços. Destacaram-se também em setembro, comércio, com 15.040 vagas; serviços, com 3.743 e construção civil, com 380.

Houve retração nos setores de agropecuária (menos 8.372 vagas); serviços, indústrias de utilidade pública (menos 1.246); administração pública (menos 704) e extrativo mineral (menos 133).

Fonte: Agência Brasil

Clínica Impar - Início: 21-08-17
Postado em 19/10/2017
Compartilhe:

2 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Pirilampo | 1 mês atrás

    A múmia do Temer tá contando muita vantagem com essas pesquisas, mas eu gostaria de fazer a seguinte observação: quantos empregos foram perdidos desde o governo Dilma+Temer e agora só com Temer? Garanto que esses "aumentos" não alcançaram as perdas dos emprego, então ocorre é que está retornando à marca da normalidade, não há vantagem nenhuma nessas "estatísticas". Além do que ele gava muito a inflação baixa, mas as vendas no comércio atacado e varejo, na indústria e no agronegócio despencaram e não há sinais de reaquecimento, só algumas retomadas sazonais, então o que está a acontecer é uma doença econômica, talvez mais grave que inflação alta, que é a recessão, onde se estagna a circulação monetária... perigo iminente. FORA LADRÃO, FORA TEMER.

    0 0 Responder

  • Betão | 1 mês atrás

    chora petezadaaaa

    0 1 Responder