Publicado em 17/05/2018
Compartilhe:

Casal de Sabará será indenizado em R$ 50 mil pela Cemig por falta de luz em festa de casamento

No processo, o casal realtou que no dia do seu casamento houve interrupção no fornecimento de energia elétrica no sítio preparado para a festa.

Um casal será indenizado em mais de R$ 50 mil pela Cemig porque faltou luz na festa de casamento. A decisão da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirma a sentença da Comarca de Sabará.

No processo, o casal realtou que no dia do seu casamento houve interrupção no fornecimento de energia elétrica no sítio preparado para a festa marcada para começar às 22h. Com isso, não foi possível gelar as bebidas, os fotógrafos, cinegrafistas e músicos não conseguiram trabalhar e praticamente não houve festa. Algumas pessoas tentaram iluminar o local com os faróis dos próprios carros, mas os convidados, cansados de esperar pela volta da energia elétrica, foram embora.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––

A Cemig alegou que a interrupção de energia foi acidental e ocorreu por causa indeterminada no sistema elétrico. Segundo a empresa, a lei federal que regula sua atividade a exime da responsabilidade pela descontinuidade na prestação do serviço, se a falta de energia ocorre por força maior, caracterizada por intempéries, o que afastaria seu dever de indenizar.
 
Em primeira instância, o juiz Afrânio José Fonseca Nardy determinou indenização por danos materiais de R$22.100 e danos morais de R$15 mil para cada um dos noivos.

 As partes recorreram, mas o relator do recurso, desembargador Corrêa Júnior, manteve os valores das indenizações. O magistrado observou que não ocorreram descargas elétricas e que uma investigação acerca de motivações administrativas não afastaria a responsabilidade da concessionária.
 
“Conforme se depreende das provas documentais e testemunhais, houve a interrupção do fornecimento de energia elétrica na localidade em questão, que não foi restabelecida em tempo razoável a possibilitar a ocorrência da festa de casamento. Assim sendo, resta claro que o agir da concessionária efetivamente deu causa a significativo constrangimento”, afirmou o relator.

A desembargadora Yeda Ahias e o desembargador Audebert Delage votaram de acordo com o relator.

Fonte: Itatiaia

Postado em 17/05/2018
Compartilhe:

1 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • candango | 4 meses, 1 semana atrás

    olha que sorte além de não ver a merda que fez, ainda vai receber um leleu

    9 5 Responder