349669 2216 Ok
Banner CNA - TOPO
Publicado em 13/07/2017 por Maurício Rocha
Compartilhe:

Casa de Saúde Imaculada Conceição nega erro médico e diz que vai recorrer de condenação

O Hospital Imaculada Conceição foi condenado a pagar indenização no valor de R$ 50 mil por danos morais.

Hospital Imaculada Conceição.

O Patos Hoje mostrou no início desta semana que o Hospital Imaculada Conceição foi condenado a pagar indenização no valor de R$ 50 mil por danos morais para uma paciente que teve grave infecção hospitalar após o parto da filha e acabou perdendo o útero. Na decisão em primeira instância, o juiz Marcus Caminhas Fasciani determinou uma indenização de R$30 mil pelos danos morais. As partes recorreram e o relator Mota e Silva acolheu o recurso da paciente apenas para aumentar o valor dos danos morais.

Em nota, o departamento jurídico da Casa de Saúde esclareceu que foi um caso isolado, ocorrido há mais de 20 anos e afirmou que os profissionais da época não infringiram o Código de Ética Médica. A direção do hospital informou que vai recorrer da decisão. Lei a íntegra da nota:

“Casa de Saúde Imaculada Conceição LTDA, de Patos de Minas (MG), vem a público esclarecer os fatos relacionados com a matéria divulgada no dia 08/07/2017, informando que o hospital teria sido condenado a pagar o valor correspondente a R$ 50.000,00 (Cinquenta mil Reais) a título de danos morais a mulher que perdeu útero e o apêndice, decorrente de um procedimento de cesárea ocorrido no ano de 1997, portanto há 20 (vinte) anos atrás, tratando-se de um caso isolado.

Trata-se de uma decisão de segunda instância, ainda não transitada em julgado, que cabe recurso para instâncias superiores, visto que o Hospital e os profissionais atuantes não infringiram disposições do Código de Ética Médica e da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar, fato que foi comprovado nos autos do processo em questão, através de perícia judicial.

Finalmente, o Hospital reafirma o seu compromisso de continuar oferecendo, em todas as especialidades, serviços de qualidade e ratificando o seu compromisso com a saúde e bem-estar dos pacientes”.

Clínica Impar - Início: 21-08-17
Autor: Maurício Rocha Postado em 13/07/2017
Compartilhe:

9 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Bibi perigosa | 3 meses atrás

    O Hospital deveria rever seu quadro de funcionarios , uma vez que uma funcionária foi dispensada de outra unidade por estar "torturando e batendo "em pacientes , a coordenação sabe do fato e mantém a funcionaria, diante dessa situação o hospital cai na minha credibilidade .

    5 3 Responder

  • Mirelle Côrtes Borges | 3 meses atrás

    O hospital e excelente... Isto aconteceu a 30 anos atrás

    11 1 Responder

  • Thiago | 3 meses atrás

    Vejo com tristes olhos a judicialização da medicina. Tratam-na como uma calculadora em que se encontram sempre os mesmos resultados às mesmas equações. Porém, cada ser humano é único e responde de forma única ao seu meio. Cada pessoa responde de forma diferente às medicações e a procedimentos cirúrgicos, mesmo que nossa fraca percepção não nos traga as sutis diferenças entre os resultados. Quando estes resultados fogem muito a curva sempre causam espanto e reações extremas, para o bem ou para o mal. Quando para o mal ela caminha, trás as pessoas a frustração pela vida não ser perfeita. E é de praxe do ser humano buscar compensar suas frustrações buscando causas externas e responsabilidades externas. Bons, médios e maus resultados sempre irão acompanhar a humanidade, em todos os aspectos, não só na medicina. Quantas mulheres morriam de infecção puerperal no passado quando não havia qualquer suporte médico, ou nas regiões que ainda não a tem? Ao invés de processar, deveriam agradecer aqueles que põe sua vida e sua consciência pela população. Pois da mesma forma que se regozijam das vitórias, padecem quando o resultado não é o esperado condenando noites sem fim. Ainda bem que eles existe e se propõem a cada dia buscar o sucesso, mesmo sabendo que o fracasso em algum momento será inevitável, pois não há nada mais frágil que a vida humana e seu cuidado é cheio de incertezas e inexatidões tão ampla quanto a variação dos mais de 7 bilhões de organismos diferentes a serem tratados com tão poucas e limitadas técnicas e medicamentos.

    13 6 Responder

    CEBOLINHA - 3 meses atrás

    Todo médico que responde a um processo, na grande maioria sem razão alguma, apenas porque a tal JUSTIÇA GRATUITA favorece o autor, passa por um processo de depressão e muitos ate cogitam ou largam a profissão.Muito triste!

    5 1

  • Alves Sandra | 3 meses atrás

    A 31 amos a traz eu peguei infecção hospital ar neste mesmo hospital quando ganhei minha filha

    10 24 Responder

  • Humm | 3 meses atrás

    Pra começar o propio hospital diz qe nao tinha na época CCIH(COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR) e ainda dizem qe vao recorrer? É uma piada.

    16 22 Responder

  • Santa Genoveva | 3 meses atrás

    E este hospital ainda pensa que vai ganhar? Pode recorrer até o STF que capaz que a cada instância perdida o valor da indenização irá se multiplicar.

    16 24 Responder

  • André Luiz | 3 meses atrás

    Vai recorrer sim e provavelmente vai perder novamente. Acho é pouco.

    22 26 Responder

  • Bia | 3 meses atrás

    Vamos ver se publicam. É a famosa máfia de branco. Erram e cometem atrocidades todos os dia. Mas um acoberta o outro, em um espírito de corpo mais burro que já vi. Se fecham para proteger o mau profissional.

    23 29 Responder