Após decisão em assembleia, escolas estaduais em MG terão início das aulas com greve

A decisão foi tomada em assembleia realizada nessa quarta-feira (05) em Belo Horizonte.

publicado em 07/02/2020, por Farley Rocha


A Direção do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais, SIND-UTE, decretou greve em todo o estado por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia realizada nessa quarta-feira (05) em Belo Horizonte. O professor de ciências e biologia, Ricardo Barreto, explicou que a principal reivindicação é o pagamento do piso salarial.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Orthodontic - Especial Notícias

O coordenador da sub-sede do SIND-UTE em Patos de Minas, Ricardo Barreto, explicou que a greve vai começar um dia após o início das aulas, no dia 11 de fevereiro, terça-feira. A decisão veio após uma assembleia geral realizada na capital do estado. De acordo com ele, pela lei federal, o vencimento dos professores PEB 1 A giraria em 2020 em R$2.886,24, no entanto o governo está pagando apenas R$1.982,54, valor de 2017. “Está muito defasado”, disse.

O professor contou que foram feitas várias tentativas de negociação com o Governador Romeu Zema, mas não houve êxito. Ricardo explicou que vai ser feita uma mobilização junto aos outros profissionais da educação para explicar o motivo da greve e conta também com o envolvimento dos pais. “Não é para ter umas férias a mais”, ressaltou.

Ricardo disse que tudo será informado para a administração como determina a legislação e uma nova reunião já está marcada. Além da reivindicação do piso salarial, os profissionais também cobram a solução das matrículas on-line, o que resultou em alunos inscritos em escolas não desejadas e também fechamento de escola e de turmas, gerando desemprego.

O coordenador informou que o governador vem promovendo o desmonte da rede estadual de ensino e prejudicando toda a classe de professores no estado. Ricardo Barreto explicou que o movimento não tem data para terminar.

Autor: Farley Rocha Postado em 07/02/2020
Compartilhe:

80 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Joao Victor Alves de Aguilar | 6 dias, 11 horas atrás

    Bandido gente do governo,vocês não respeitam a família mineira e nem a educação do estado de Minas Gerais,você ricar Barreto vagabundo,insuportável,chato, egoísmo,eu nunca quero votação no Romeu zema nunca mais! E eu vou logo avisando eu vou te dar uma porrada na secretaria de estado de educação e eu vou te matar romeu zema e todos os profissionais do governo

    0 0 Responder

  • Pablo | 1 semana, 3 dias atrás

    Na minha escola vai ter aula amanhã,e ela e atadual porque ?

    0 0 Responder

  • Karine Professora | 1 semana, 4 dias atrás

    CARTA ABERTA À COMUNIDADE ESCOLAR DO ESTADO DE MINAS O QUE QUEREM OS PROFESSORES? (De uma professora da SEE-MG desde 2010) No dia 05/02/2020, os profissionais da Educação de MG, em assembleia, anunciaram paralisação a partir de 11/02. Chega, inevitavelmente, a hora de ouvir e ler: "Professores vagabundos! O que fazer com os filhos em casa?” Como podemos e devemos responder? Segundo a Constituição Federal, no Art. 9º, "é assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender". E então? Você sabia que nós, como qualquer profissional que tem direito a fazer greve, somos os únicos que nos preocupamos em repor os dias parados? Como qualquer trabalhador, não somos obrigados a isso, porém, quando assumimos o compromisso em educar, transformar, entendemos que não devemos deixar prejuízos para nossa comunidade. Então fazemos a reposição para o suposto bem dos alunos. Você sabia que não é devido descontar em folha os dias que estamos em estado de greve (maneira que o Estado encontra para forçar o retorno) e, mesmo assim, se for o caso, ficamos no prejuízo? Você sabia que nós estamos recebendo o salário parcelado há algum tempo e que não recebemos integralmente nosso 13º? Você sabia que temos família e contas como qualquer outro trabalhador? "Mas por que fez concurso? Não sabia que era assim? Aguenta!" Você sabia que nossa escolha em educar o filho dos outros não nos faz mártires? A cada ano que passa, estamos sendo mais marginalizados, perseguidos por políticos, familiares, alunos... e, ao mesmo tempo, cobrados por excelência. Como? Você sabia que muitos de nós trabalhamos em mais de duas, ou três escolas? Como exigir excelência se estamos exaustos, sem dinheiro para livros, sem tempo para aperfeiçoamento, sem tempo para descansar? Você sabia que nas escolas públicas falta de tudo e, muitas vezes, mesmo sem dinheiro, arrumamos maneiras de os meninos terem merenda, papéis, brincadeiras, enfim, terem seu direito de estar na escola resguardado? Você sabia que muitas vezes, além de professoras, somos técnicas em higiene bucal, psicólogas, nutricionistas, mães e pais de alunos que são jogados nas escolas por suas famílias? E que essas famílias são as que mais agridem (verbalmente e fisicamente) e exigem? Você sabia que sofremos agressões por parte de alunos, familiares, gestores e todos que acham que sabem o que é educação? Você sabia que qualquer pessoa, mesmo sem formação em educação se acha apta a opinar sobre o assunto? "Privatizar resolve!" Você sabia que sucatear o ensino público é a declaração de falência ética, moral, política e social de um país? Nos países onde o IDH e o PIB são mais elevados, educação não é discussão – e tampouco é mercadoria. É prioridade. Professora é respeitada e a carreira é concorrida. Você sabia que escola privada não é tampouco ideal enquanto formação política, social e humanista, apesar de lograrem alguma aprovação em vestibulares? Você sabia que somos profissionais – graduados, especializados, pós-graduados? Se você não sabia, nós, como de costume, ensinamos. Nós, professores, temos família, casa, obrigações – e direito ao lazer, à saúde, a uma boa alimentação e ao material básico (físico ou intelectual) para exercer nossa função. Somos os que cuidam dos filhos dessa sociedade doente. Somos preocupados e carregamos a vontade de um mundo melhor. Somos apaixonados e escolhemos ser professores. Não queremos apenas nosso salário, como educadores, queremos sempre mais – e queremos o que nos é devido de forma tão precária. Queremos ser respeitados como indivíduos, cidadãos e que tenhamos uma remuneração justa. Queremos que o Estado invista em infraestrutura, em formação continuada. Que o Estado invista na população. Você sabe o que mais queremos? Queremos o apoio da população. Queremos a mesma empatia sentida em sala de aula por alunos que acompanham a realidade de seus mentores. Você já apoiou um professor hoje?

    12 2 Responder

    Luana Aluada - 1 semana, 2 dias atrás

    Quando sair o filme assisto

    1 1

  • Deia | 1 semana, 5 dias atrás

    Adorei este movimento ,os professores merecem receber o q e direito e merece respeito,pois eles são o alicerce da sociedade e de uma educação diguina

    7 3 Responder

  • Capi | 1 semana, 5 dias atrás

    Sou um aluno do oitavo ano da escola estadual de pitangui mg,minhas aulas começariam amanhã,eu estava muito feliz por voltar a escola mas depois dessa noticia fiquei triste :cry:

    7 0 Responder

    Estudar sempre - 1 semana, 5 dias atrás

    As minhas aulas começa hj dia10 não teremos greve

    2 0

  • Observadora | 1 semana, 6 dias atrás

    Vcs sabiam que os profissionais da educação do estado são os únicos que ainda estão recebendo os salários parcelados e atrasados. Pagou o décimo terceiro só para algumas pessoas. Os militares já não tem salário parcelado e foram os primeiros a saber do décimo terceiro. Eles conseguiram isso e o aumentos salariais, devido às ameaças de greve. Chegou a hora dos professores lutarem por seus direitos! Os pais deveriam respeitar e apoiar estas ações, uma vez que , os professores são obrigados a repor depois ,porque o aluno precisa encerrar o ano com 200 dias letivos.

    15 1 Responder

    kkk - 1 semana, 2 dias atrás

    Deixa de ser boba militar nem cogita a hipótese de entrar em greve, vc acham que vão querer tomar cadeia? Rindo até 2050

    0 0

  • zzzzz | 1 semana, 6 dias atrás

    O estado esta quebrado. O dinheiro acabou.

    2 1 Responder

  • Tuty | 1 semana, 6 dias atrás

    Professores votem novamente nos candidatos do Novo, do PT....kkk, vocês sempre escolhem errado, depois ficam fazendo greve e os alunos são quem são prejudicados. Sempre assim.

    8 6 Responder

    Kkkk - 1 semana, 4 dias atrás

    Até parece que é tudo culpa do pt, esqueceram mais de 12 anos que o psdb ficou no governo de minas neh !

    3 4

  • A luta está só começando | 1 semana, 6 dias atrás

    Parabéns, professores! Lutem! Lutem! Lutem!

    10 13 Responder

  • Verdade política | 1 semana, 6 dias atrás

    Tá muito na cara que isso é de cunho político estão nem aí para os alunos das escolas estaduais! !!que cara de lula que esse aí tem...sai fora

    18 18 Responder

    DIMITRI NISHIMURA - 1 semana, 6 dias atrás

    Ilustre Político, por ser em professores podem ter seus direitos trabalhistas desrespeitados? Deveria ser a classe mais valorizada. Ocorre que pensamentos ideológicos dessa natureza, são frutos de mentes dominadas pela ou brancos e egoísmo.

    9 12

carregar mais comentários