349669 2216 Ok
Banner CNA - TOPO
Publicado em 07/12/2016
Compartilhe:

Índice de acidentes com vítimas em Patos de Minas teve leve redução, mas ainda preocupa

Só este ano, no período de Janeiro a novembro, a Polícia Militar registrou 1.295 acidentes com vítimas de ferimentos no perímetro urbano.

Condutor inabilitado capota depois de bater em muro na Avenida JK. ( Foto: Arquivo Patos Hoje )

O trânsito de Patos de Minas é um dos mais graves problemas a serem enfrentados pelos administradores públicos. O número de acidentes é grande e os prejuízos incalculáveis, não só pelos danos causados aos veículos,  mas também as inúmeras vítimas de ferimentos,  muitas com sequelas irreversíveis e outras fatais.

Só este ano, no período de Janeiro a novembro,  a Polícia Militar registrou 1.295 acidentes com vítimas de ferimentos no perímetro urbano. O número é elevado, embora tenha um motivo para comemorar. Houve redução de 5% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 1.364 acidentes com vítimas de ferimentos.

A falta de atenção é a principal causa dos acidentes. Em seguida, o avanço do semáforo e da parada obrigatória aparece na segunda colocação. Na terceira posição das causas de acidentes esta a embriaguez ao volante e por último as derrapagens. Isso significa que a grande maioria dos acidentes poderia ser evitada.

Rafael Oliveira Rocha é médico regular do Samu. Segundo ele, a maioria dos chamados ocorre nos horários de pico, de manhã, na hora do almoço e a tarde. Ele chama a atenção, no entanto, que os acidentes mais graves ocorrem na volta para casa. Segundo o médico, embora o acidente entre um ônibus e um veículo de passeio tenha causado a morte de um garoto de 14 anos e deixado outras três pessoas feridas na semana passada, os motociclistas são de longe as maiores vítimas.

Rafael alerta os motociclistas que é preciso redobrar os cuidados, além é claro de respeitar a sinalização. As ultrapassagens, excesso de velocidade e a utilização dos corredores deixam os motociclistas ainda mais vulneráveis. Segundo o médico, boa parte dos leitos do Hospital Regional está ocupada por motociclistas vítimas de acidentes de trânsito.

Rafael alerta que o trânsito é a principal causa de mortes no Brasil, fazendo mais vítimas do que o câncer por exemplo. São cerca de 50 mil vítimas fatais por ano. Uma triste realidade que não deve mudar enquanto não houver a conscientização dos condutores e usuários das vias públicas.

Autor: Maurício Rocha

Clínica Impar - Início: 21-08-17
Postado em 07/12/2016
Compartilhe:

7 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Patense | 10 meses, 1 semana atrás

    O problema do nosso transito é falta de educação do povo desta cidade. Patos tem o transito mais amarrado que eu conheço e acidentes ainda acontecem. O que mostra que colocar um semáforo a cada esquina e 300 quebra molas nao resolvem os problemas.

    0 0 Responder

  • Tudobarbeiro | 10 meses, 2 semanas atrás

    Volto a repetir, a pior cidade do mundo para dirigir é Patos de Minas, outro dia fiquei indignado, uma viatura na minha frente a 15km por hora andando na faixa da esquerda, por onde tive que passar? isso mesmo pela direita, pq aqui em Patos o povo é burrro, sem contar o tanto de gente que acha que retrovisor é enfeite, a unica solução para Patos é guarda de transito e canetada ate o povo aprender.

    8 1 Responder

  • marcos | 10 meses, 2 semanas atrás

    tudo mentira , igual ao email que eu recebi da policia dizendo que houve uma reducao nos assaltos na regiao do bairro do rosario

    5 0 Responder

  • Pedro | 10 meses, 2 semanas atrás

    Piada, esta matéria é piada como todas que falam de trânsito em Patos de Minas. Falta de atenção?? Embriagues? Pessoal vejam que os dados tratam só de "repressão" ou seja a polícia contabiliza só os casos que ela é acionada ou seja após o acidente. Em Patos não existe prevenção, enquanto no Brasil inteiro o numero de multas por falar ou utilizar celular no transito aumentou em pelo menos 10% no último mês, aqui praticamente desapareceu. Hoje o transito na cidade é cada um por si. Não existe fiscalização alguma. São feitas mudanças pontuais mas fiscalizar é zero. Vergonha o caos tomou conta da cidade. As obras de trânsito (tem uma na Major Gote) são feitas por particulares e não respeitam os horários de pico. Hoje simplesmente fecharam a Major Gote sem aviso e no meio do quarteirão. Isso é falta de respeito com a cidade, com o trabalhador. O nr de acidentes é pouco se pensarmos que no transito é cada um por si. Falando ainda Major Gote (próximo ao Marista) eles vão tirar uma faixa de pedestres do meio do quarteirão que leva ao ponto de ônibus e vão colocar uma passagem elevada próxima ao balão. O motorista fazendo o balão ao voltar para a Major Gote terá que parar para o pedestre atravessar... pergunto: quem pensou isso nunca deve ter subido a avenida de carro e nunca deve ter andado a pé na cidade. É um absurdo.

    7 0 Responder

    Rose - 10 meses, 2 semanas atrás

    Fazer campanhas educativas e punição/multas, pode ate melhorar porem se cada não fizer a sua parte.... se cada uma não começar a pensar como "ser humano", se cada um não começar a dirigir como um "ser humano" .... nada ira adiantar

    0 0

    Pedro - 10 meses, 2 semanas atrás

    Rose, concordo com você em gênero, número e grau. Mas depois de anos no trânsito perdi a fé na educação (consciência) no trânsito. Infelizmente somos mal educados, por favor não estou dizendo que são todos. Mas é comprovado nos sem radares, fiscalização e punição não obedecemos nenhuma regra. Ou seja, não somos tão humanos como deveriamos ser com o nosso próximo.

    0 0

  • Hospital Regional | 10 meses, 2 semanas atrás

    Passo todos os dias na porta do hospital regional, pois moro ali próximo, fico observando o tanto de pessoas com aquele arco de ferro nas pernas, fora os que falta uma perna, ou um pé, acredito que a maioria deve ser por conta de acidentes com motocicletas.

    1 0 Responder

  • Lucio Netto | 10 meses, 2 semanas atrás

    Leve redução?? Vocês ´so podem estar de brincadeira!!! Eu teria vergonha de publicar uma noticia dessas, vocês sabem que isso é mentira!!! :muscle:

    11 1 Responder

  • OPINIÃO | 10 meses, 2 semanas atrás

    Creio eu que uns dos grandes problemas, são carros com péssima conservação, e a LEI fala que o carro tem que esta em boas condições de uso, e olha o tanto de carros caindo aos pedaços que vemos ai nas ruas, passando lado a lado com viaturas da policia e não são parados, esse chevette velho ai da foto que ilustra a reportagem, veja se isso tem condições de estar rodando, mas isso aqui é BRASIL e as leis como tudo aqui é levado nas coxas, e sempre será assim!

    3 10 Responder

    israel - 10 meses, 2 semanas atrás

    99,999% dos acidentes fatais acontecem em veiculos com pouco tempo de uso. pode pesquisar

    4 0

  • roberto | 10 meses, 2 semanas atrás

    Outra coisa que preocupa muito é o RESTAURANTE POPULAR. Estou pagando a conta para a Prefeitura ficar bancando comida de graça para elite. Lá no Rio de Janeiro onde a crise esta feia, foram fechados praticamente todos os restaurantes populares. Aqui em Patos esta esperando o que, a vaca ir pro brejo. Este Restaurante Popular de Patos de Minas, não tem nada de popular.

    6 2 Responder

    Mineiro - 10 meses, 2 semanas atrás

    Concordo com você, lá só vai pessoas que tem a vida controlada , as pessoas que precisam mesmo são poucos e sem falar nos vei que fica furando fila enquanto os trabalhador tem que fica na fica gastando o horário de almoço. Eu fico PUTO com os vei furando fila.

    3 0